quinta-feira, 4 de junho de 2009

VERDADES INCONCUSSAS?! OU VÉRITÉS ACQUISES?

"Uma assembléia para a qual se convocassem todos os que se dizem espíritas apresentaria um amálgama de opiniões divergentes, que não poderiam assimilar-se reciprocamente..." escreveu Kardec, prevenindo, com seu conhecido bom senso, uma situação semelhante à qual vivemos hoje em dia. Daí, bateu na mesa (intelectualmente, claro!) e afirmou arbitrário: "Criamos a palavra Espiritismo, para atender às necessidades da causa; temos, pois, o direito de lhe determinar as aplicações e de definir as qualidades e as crenças do verdadeiro espírita!" Assim escreveu em 1866; morreu em 1869 e, portanto, em 1929 perdeu definitivamente tal direito para o domínio público.
Mas, ele tentou. Delineou as balizas de uma constituição do espiritismo, onde imaginou uma comissão central para o dia-a-dia e, congressos periódicos para definir as possíveis ou necessárias atualizações. Chegou a imaginar um formulário de adesão onde, prá ser considerado espírita, o adepto faria sua profissão de fé; o que, segundo ele mesmo, criaria a categoria dos espíritas professos (sic). Terminou por escrever: "Pela sua essência mesma, o Espiritismo toca em todos os ramos dos conhecimentos físicos, metafisicos e morais; as questões que ele envolve são inumeráveis; todavia, elas podem se resumir nos pontos seguintes que, sendo consideradas verdades adquiridas, constituem o programa das crenças espíritas". E... caput! Morreu sem enumerar os "pontos seguintes". (E eu fico me perguntando onde o Guillon Ribeiro foi buscar a expressão: verdades inconcussas!)
Alguns congressos foram convocados, após Kardec; principalmente em Bruxelas. Apesar de convidarem pessoas de vários países, não lhe davam um escopo mundial ou universal.
O primeiro ao qual ousaram dar esse status foi o Congrès International Spirite de Barcelone de 1888. Ali, os princípios fundamentais são expostos, tanto no discurso inicial feito pelo presidente da comissão, quanto nas conclusões do congresso.

No discurso de Torres Solanot:
- existência de Deus;
- imortalidade do espírito;
- pluralidade dos mundos habitados;
- pluralidade das existências da alma;
- progresso indefinido;
- afirmação de que a filosofia do Espiritismo deverá sempre se apoiar sobre a ciência e a razão.


Nas conclusões do congresso, indicando talvez a diversidade das tendências, consta como fundamentos do Espiritismo:

Existência de Deus - Imortalidade da alma - Preexistência: Reencarnação - Pluralidade dos mundos habitáveis e habitados - Progresso indefinido - Prática do bem, e o trabalho como meio de o realizar.
Recompensas e expiações futuras, em razão dos atos voluntários - Reabilitação e felicidade para todos - Comunhão universal dos seres - Comunicação com o mundo dos espíritos - Em direção a Deus, pelo amor e pela ciência - Fé racional - Esperança e resignação - Caridade para todos.


Solanot deu a entender que os principios fundamentais seriam definidos no próximo congresso, a se reunir em Paris, em 1889, que acabou tomando o nome de Congrès Spirite et Spiritualiste International, e contou com a presença até do Eliphas Levi. Não consegui encontrar nenhum oferecimento de download gratuito dos relatos desse congresso. Encontrei, sim, uma ótima oferta de ocasião de um exemplar original do livro num sebo de Paris, segundo eles em bom estado, ao preço de 145 euros, o que, acrescido do frete deverá ficar em torno de 500 reais! Muito para o meu bolso no momento. Quem quiser adquiri-lo, o endereço é este:

http://www.chapitre.com/CHAPITRE/fr/BOOK/collectif/compte-rendu-du-congres-spirite-et-spiritualiste-international-de-1889-tenu-a-pa,8953023.aspx

No livro Obras Póstumas, Leymarie cita que o congresso espírita e espiritualista de 1890 (como se vê, faziam congresso todo ano) criou uma comissão de propaganda com a incumbência de gerar um livro atualizando os princípios fundamentais do espiritismo, que seria revisado no próximo congresso.
Deste congresso de 1890, não econtrei ainda nenhuma referência virtual.

4 comentários:

  1. Caro João Donha,

    Quais foram os congressos que você conseguiu encontrar para download? Poderia compartilhar?

    ResponderExcluir
  2. Olá Felipe,

    Para download (na verdade, telechargenment - rsrs), só encontrei o de 1888, que foi em Barcelona.
    Mas, pesquisando ofertas em sebos vi, não lembro bem, se foi o de 1889 ou o de 1890.
    Vou pesquisar novamente e posto aqui os endereços.

    ResponderExcluir
  3. Achei, Felipe.

    O site do sebo que oferece o de 1889 está nesta mesma psotagem, acima.
    O site de onde baixei o de 1888 está na primeira postagem deste blog.

    ResponderExcluir
  4. João,

    Está esgotado, e mesmo que não estivesse, o bolso não me permitiria adquiri-lo no momento (hehe). Eu encontrei o de 1888 e o de 1934, ambos em Barcelona (pode-se encontrá-lo aqui: http://www.espiritismo.cc/Descargas/libros/Congreso-Espiritista-1934.pdf ). Vê lá na lista das obras da biblioteca de obras raras da FEB que eles têm alguns congressos também. Espero que um dia disponibilizem. Eu também encontrei a versão na integra do o livro Procès des Spirites, da Marina Laymarie. No livro, vê-se claramente que a Sociedade de Paris, após o desencarne de Allan Kardec, tornou-se bastante mística, passando a estudar as obras de Roustaing, esoterismo etc. Eu estou há alguns anos fazendo pesquisa nesta area para futuramente fazer o meu TCC de história sobre isto. Se quiser trocar e-mails felipe_vilamaria@yahoo.com.br

    Abraços,
    Felipe.

    ResponderExcluir